Doctor Who – The Return of Doctor Mysterio (Crítica)

Após um ano de hiato desde o último especial de natal da série, Peter Capaldi retorna como Doctor em um episódio aonde Steven Moffat (Sherlock) – que está em seu ultimo ano como showrunner da série – decidiu fazer desse episódio uma homenagem ao gênero de super-heróis no episódio especial de natal de Doctor Who, intitulado O Retorno do Doutor Mysterio.


Moffat já declarou em entrevistas ser muito fã do gênero de super-heróis, e nesse episódio existem muitas referências a vários ícones desse universo, como  em dois momentos cômicos aonde o Doutor tira sarro da história de origem do Homem-Aranha e cita a famosa frase do tio Ben, “Com grandes poderes, vem grandes responsabilidades”, referências ao Hulk e aos X-men e uma rápida citação ao jogo Pokemon GO.


Mas uma das principais homenagens do episódio  é dedicada  ao Superman  – tanto dos quadrinhos de John Byrne quanto ao Superman dos filmes de Christopher Reeves – com várias referências ao modo de como o herói esconde sua identidade atrás de um óculos, uma repórter que é o interesse amoroso do herói (que trabalha num jornal de nome muito similar ao de Lois Lane) e uma das referências mais evidentes é a tremenda semelhança do simbolo do alto da empresa do inimigo do episódio – Harmony Shoal – com o logo do Planeta Diário dos quadrinhos do Homem de Aço.


Peter Capaldi segue dando um show de interpretação, mas não está mal acompanhado. Justin Chatwin (Dragon Ball: Evolution) cria um bom herói deveras limitado, com vícios e maneirismos mais sérios, característicos de personagens dos quadrinhos da Era de Prata, além de uma ótima versão civil do herói, trabalhando como babá. Matt Lucas (Alice no País das Maravilhas), que por algum motivo foi odiado por uma parcela de fãs, fez um ótimo trabalho como Nardole, um personagem com um misto de covardia e coragem forçada, gemidos, honestidade em relação ao Doutor e uma farta dose de infantilidade que faz dele alguém adorável e exótico ao mesmo tempo, muito interessante de se ver na TARDIS e ao lado do Doutor.


The Return of Doctor Mysterio não teve Papai Noel, mas foi um dos episódios de Natal mais diferentes, e ainda assim, mais interessantes de toda a série, com uma belíssima fotografia noturna; direção de arte certeira, sem carregar muito nenhum cenário, efeitos especiais bons a maior parte do tempo, boas interpretações e a “conclusão” da história do Doutor após sua vida de casado. Um Natal heroico, apesar da dor, e necessário para o Doutor e para todos nós, especialmente em um ano absurdamente pesado como este 2016.


Por: Yago Cândido

#DoctorWho