Esquadrão Suicida | Crítica

Muita expectativa para o primeiro filme da equipe do Esquadrão Suicida no universo da D.C e conhecer a versão do novo Coringa. Toda essa expectativa faz você ficar apreensivo no começo do filme, mas o logo colorido, uma ótima trilha e apresentação dos personagens com tipografias diferentes impulsiona e dá esperanças, pois é isso que torcemos e esperamos.

Ainda que os artifícios de quais personagens tem mais pesos sejam literalmente expressados no tempo de tela, sempre há surpresas adiante com algum novo personagem, isso dá um certo ritmo e curiosidade em como vai ser a interação caótica entre eles, mas infelizmente por escolhas de roteiro alguns acabam sendo insignificantes para trama e não

Este filme tinha a obrigação de dar um impulso no universo da D.C com alguns empurrãozinhos de outros personagens estabelecidos em Batman vs Superman, mas ainda não cheogu lá e não consegue surpreender como um todo, apenas em algumas poucas partes isoladas. Quanto ao fardo pesado de interpretar o Coringa, o ator Jared Leto está com o visual interessante e diferenciado dos demais, porém ainda não atingiu o seu potencial, não pareceu ser um problema de interpretação, mas sim de roteiro. Não pensaram em grandes genialidades para nosso vilão ou algum momento em que você realmente fica com medo dele. De qualquer forma o filme apresenta novos personagens para este universo cinematográfico da D.C e por mais que você possa ficar um pouco frustrado, você com certeza vai querer assistir uma continuação.

#joker #dc #JaredLetto #batmanvssuperman #esquadrãosuicida #coringa #Arlequina