Prison Break – “The Prisoner’s Dilemma” | Review

Tente imaginar como seria assistir um produto para TV, sem ter chances de especular ou criar diversas teorias sobre a trama que está acontecendo diante de seus olhos. Uma série hoje, dependendo seu formato, nem precisa estar presente em listas de melhores séries para ser possível criar teorias, isso se tornou parte de consumir cultura pop. Claro que isso não é obrigatório em uma série, mas é importante. Ter a possibilidade de bolar teorias é sempre bom, cativa os fãs e convence mais público a acompanhar a série. Neste quesito, acertaram ao trazer de volta para a TV uma nova temporada de Prison Break.

Cada episódio novo de Prison Break é possível criar mais teorias sobre a trama, mas em outra parte, toda a trama é previsível. Utilizar fórmulas já usadas antes pode deixar uma trama que poderia ser interessante, para ser totalmente previsível, não que seja um problema para a série, mas a falta de experimento, a falta de mudanças podem ser um problema. Por ser uma temporada reduzida, com menos episódios que as temporadas anteriores, a trama precisa ser mais curta e rápida, e assim pouca enrolação.

Não demorou muito e o esperado aconteceu, Michael fugiu da prisão, não de uma forma brilhante como desejávamos, mas do modo Scofield de fugir de uma cadeia, sabendo todos os pontos fracos. Agora livre de Ogygia e de Ramal, Michael, Lincoln e os outros precisam sair vivos do Iemên, pois além de estarem controlando tudo, a ISIL está atrás do grupo, por ter matado o líder terrorista.

Do outro lado da trama, vemos T-Bag tentando descobrir sobre Poseidon, após uma pista de Sara, Paull Kellerman é o principal suspeito, até uma conversa que conseguimos começar a ligar os pontos entre o motivo de Michael fazer o que fez para proteger a família, e o porquê de estarem indo atrás de Sara. Novamente a conspiração por trás dos personagens fica evidente novamente, diferente de antes, dessa vez não é uma companhia, e sim um cara, que ninguém sabia que era, pelo menos até agora. Mesmo com pouco tempo em tela, Sara e T-Bag estão sendo importantes para apresentar o outro lado da história de Michael, enquanto ele se preocupa em sobreviver, ao invés de ficar contando história do passado.

O episódio rendeu boas cenas, como são esperados em Prison Break, mesmo com algumas atitudes de personagens previsíveis, foram importante para o episódio, que rendeu cenas impactantes com um pouco de violência, que é sempre bem vindo, e trazendo novamente a relação entre irmãos, sempre foi muito bem trabalhada na série.

Vale esperar os próximos episódios para confirmar se suas teorias estão certas, se Poseidon realmente é Jacob Ness, se Michael, Lincoln, C-Note, Whip, Ja, Sheba e as crianças vão conseguir sair do Iemên antes da ISIL encontrá-los. Semana que vem tem mais um review de Prison Break, comentando sobre o episódio “Contingency”, quinto episódio da nova temporada.

Por Gabriel Stuchi

#PrisonBreak #S05E04