The Flash e Supergirl: Duet | Crítica

Nesta terça (21) foi exibido o episódio crossover entre Supergirl e The Flash. Dessa vez, a junção das duas séries não desencadeou numa luta contra alguma raça alienígena, mas sim num episódio musical.

A trama:


Na trama – que se inicia nos minutos finais de Supergirl – vemos um novo prisioneiro chegando ao DEO, o Music Meister (Darren Criss), que coloca a garota de aço em perigo, fazendo com que Mon-El (Chris Wood) e J’onn Jonzz (David Harewood) peçam a ajuda do time Flash na Terra-1, fazendo com que o Velocista Escarlate também acabe em perigo e pare num universo alternativo, e junto a Supergirl, ambos têm de sobreviver a um universo baseado em musicais.

Music Meister:

O Personagem de Darren Criss (Glee) ganha destaque no episódio por sua forma imprevisível e exagerada de uma maneira extraordinária e gratificante. A metodologia de mexer com os personagens de maneira sutil põe o personagem em uma posição diferente como ‘vilão da semana’. A motivação do personagem e a lição que ele consegue passar são bem elaboradas e bem feitas, fazendo do episódio menos focado em enfrentar grandes vilões e mais em falar sobre curar corações partidos.

A ótima atuação de Darren conquistou o público e abriu uma possibilidade para que o personagem possa retornar em algum futuro novo crossover.

As Músicas:

Outro grande acerto do episódio são as músicas presentes nele, cada performance mostrada conta com o talento de cada ator presente no episódio, que se encontram igualmente em perfeita harmonia por diferentes razões. Exemplos de como as músicas do episódio são vistos nas canções ‘Super Friends‘ e ‘Runnin’ Home For You‘ .

Em ‘Super Friends‘ mostra de forma vocal e visual o motivo da amizade de Kara (Melissa Benoist) e Barry  (Grant Gustin) ser tão especial e como eles trabalham bem juntos em seus encontros, e com a composição de Rachel Bloom  (Crazy Ex-Girlfriend), a música ganha um destaque no contexto do episódio. Já em ‘Runnin’ Home For You‘, é possível ver um grande nível de maturidade num momento importante para Barry como personagem, em fato de que todas as suas decisões durante a temporada são decididas perante o sentimento de medo, e agora é possível ver um Barry que está mais confiante ao retomar uma grande decisão para ele.

Sobre o episódio:

Com uma premissa deveras duvidosa, olhando por um todo, ‘Duet‘ foi um dos melhores momentos de ambos os shows, mais precisamente em The Flash, que houve uma quebra da rotina dessa temporada com o sombrio do vilão Savitar. Ver Gustin e Benoist ao lado de grandes cantores como Jeremy Jordan (Supergirl), John Barrowman (Arrow e Legends of Tomorrow), Victor Garber  (Legends of Tomorrow), Carlos Valdes e Jesse L. Martin (The Flash) são momentos memoráveis.

Ambos os shows tem um apreço pela entrega de uma boa qualidade em relação a seus efeitos especiais e seus designs visuais a cada semana, e dessa vez, nada foi diferente, já que um dos grandes critérios positivos para o episódio é o visual mostrado. O fato do episódio se passar num universo mais old school foi uma grande acerto, e a trama dando diversas referências a clássicos do cinema musival como O Mágico de Oz e Cantando na Chuva trouxe uma atmosfera de classe, que procura criar uma conexão com o espectador. E caso os produtores pensem em fazer mais crossovers como esse, a idéia jamais deixará de ser ruim.

Por Yago Cândido.

#cw #DCComics #supergirl #theflash